terça-feira, 23 de fevereiro de 2021

Opinião: Ostentação de verdade é eficiência



''O DF está ganhando mais oito UPAs, várias Unidades Básicas de Saúde, o Hospital Oncológico, a ampliação de cinco hospitais regionais; a grande maioria das escolas foi reformada, algumas estão sendo reconstruídas, outras estão surgindo, caso da linda escola profissionalizante recentemente inaugurada em Brazlândia''



Por Deputado Hermeto

Que ele não tem medo, nem se constrange de mostrar seu patrimônio, é verdade mesmo. Roupas de grifes famosas, mansão no Lago Sul, carros luxuosos e relógios que se confundem com joias são realmente exibidos. O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha Barros Júnior, ostenta com orgulho o fruto de anos de trabalho como advogado de sucesso e reconhecido nacionalmente pela sua atuação.

Mas o que importa para a população e a oposição tenta esconder é que Ibaneis é um gestor que faz acontecer, que faz mais pelo Distrito Federal em seus primeiros dois anos do que os últimos ocupantes do Palácio do Buriti. Podemos dizer que o volume de obras e ações apresentados por Ibaneis Rocha é mesmo digno de um "governador ostentação". Ou seja, o fato de ser rico não afeta seu trabalho como gestor.

Desde que ele assumiu, em 2019, a cidade ganhou status. A importância refletida em um DF bem-cuidado. Podem falar mal, porque, de fato, nem tudo é perfeição, mas o que Ibaneis mostra a cada dia é que sabe trabalhar, sabe liderar, sabe definir prioridades e, principalmente, soube recuperar as finanças do DF, trazendo milhões de diversas fontes. Porque, talvez, as pessoas não se lembrem mais, mas Ibaneis recebeu o Distrito Federal com um rombo de R$ 7,5 bilhões nos cofres — isso é dinheiro público mal administrado ou conduzido para malfeitos.

A cada dia, o governador mostra que conhece as necessidades da população e sabe o que é ser líder do Poder Executivo. Ele executa e tem o que mostrar. As obras estão por toda parte, a rede de proteção social das famílias mais carentes fez do DF o lugar mais seguro do Brasil para se viver durante a pandemia, no ano passado.

E nem precisa ir muito longe. Os números do desempenho do governo Ibaneis são impressionantes e a ação é vista a olho nu, basta dar uma voltinha por aí. São centenas de máquinas e servidores trabalhando na manutenção de vias, podas de árvores, capina, construindo viadutos, escolas, hospitais, quartéis, UPAs… a lista é extensa.

Só com viadutos, foram mais de R$ 160 milhões investidos para, primeiramente, recuperar as vias do centro da cidade, que estavam caindo, livrando os brasilienses do constrangimento e do perigo de ver suas estruturas caindo, como aconteceu no governo passado, que sequer conseguiu reconstruir o viaduto do Eixão Sul que caiu sobre vários carros — só a providência divina explica o fato de não ter feito vítimas mortas.

Bom para nossa cidade, que, agora, o governador ostenta trabalho. No início da pandemia da covid-19, temos que recordar, Ibaneis não hesitou em decretar o distanciamento social. Foi o primeiro a fazê-lo, mostrando o cuidado que tem com a população. Distribuiu milhões de máscaras, reforçou o atendimento na saúde pública, ofereceu auxílios financeiros para a população mais carente.

Ao mesmo tempo, preocupou-se com a economia, liberando a construção civil e lançando pelo menos dois grandes pacotes de obras. O resultado é que, hoje, temos a menor inflação do país, o menor número de desempregados e a melhor condição de atendimento na rede pública de saúde. Ninguém ficou sem tratamento contra a covid-19 no DF. Nem mesmo os brasileiros que moram em outros estados e recorreram à nossa rede de saúde. E, agora, estamos entre os líderes nacionais de vacinação — só não vacinamos mais porque falta o imunizante.

Há muito mais. O Banco de Brasília, que andou frequentando as páginas policiais nos governos passados, voltou a figurar na lista das boas instituições bancárias do Brasil. E foi com robustez. Hoje o BRB apresenta o maior lucro de sua história: R$ 454 milhões. E este dinheiro vai para os cofres do GDF, vai ser transformado em mais obras, mais ações, mais empregos. Aliás, é preciso ressaltar que, enquanto os demais bancos brasileiros demitiram, o BRB contratou funcionários. Isso, sim, é ostentação.

O DF está ganhando mais oito UPAs, várias Unidades Básicas de Saúde, o Hospital Oncológico, a ampliação de cinco hospitais regionais; a grande maioria das escolas foi reformada, algumas estão sendo reconstruídas, outras estão surgindo, caso da linda escola profissionalizante recentemente inaugurada em Brazlândia. Pistas estão sendo renovadas, a iluminação está sendo toda trocada com a instalação de lâmpadas de led.

Áreas importantes da cidade estão sendo renovadas, como a W3 Sul, o Setor Hospitalar, o Setor Comercial Sul, o Setor de Rádio e TV, a Avenida dos Pioneiros no Gama, a Hélio Prates, a avenida central do Paranoá. É impossível citar todas as obras que estão sendo feitas. É, definitivamente, um governo que ostenta muito.
A gente sabe que o jogo político, muitas vezes, é o de esconder o que está sendo feito. Vejo políticos esperneando, tentando encontrar problemas — e eles existem, são apenas dois anos de administração — mas a tarefa da oposição está cada vez mais difícil.

Aos opositores resta falar das posses do governador, que, durante a campanha, nunca escondeu que era rico e tinha relações pessoais importantes. Ibaneis Rocha tem usado toda a sua experiência de vida para trabalhar pelo DF e eu sou testemunha que ele trabalha o dia todo, até quando está em casa, em jantares em que os convidados são ministros, empresários e parlamentares que têm ajudado a resolver os problemas da cidade. Eu só espero que ele continue ostentando esse grande governo que ele está fazendo.

  *Hermeto é deputado distrital pelo MDB e líder do governo na Câmara Legislativa do Distrito Federal (artigo publicado originalmente no jornal Correio Braziliense).  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

Publicidade

Usuários online

Publicidade