terça-feira, 15 de setembro de 2020

Parlamentar solicita ao PROCON/DF fiscalização de supermercados pela prática abusiva de aumento de preços em itens da cesta básica



O parlamentar pede a inspeção do valor abusivo cobrado por alimentos nos mercados


Bolsonaro e Delmasso estão de olho no valor abusivo cobrado por alimentos nos mercados. Foto: Facebook.

Nos últimos dias, moradores do DF depararam-se com o preço do saco de arroz por até R$ 30,00 reais, valor que antes da pandemia da Covid-19, era de R$ 8,00 reais em diante. Por isso, nesta terça-feira (15), o deputado Delmasso (Republicanos-DF), enviou uma representação ao Instituto de Defesa do Consumidor (Procon) solicitando a fiscalização para averiguar se há cobrança abusiva ao consumidor. 

A representação enviada por Delmasso, com pedido expresso de urgência, foi enviada nominal ao diretor do Procon, Marcelo Nascimento. “Solicito que seja fiscalizada a prática abusiva de elevação de preços nos itens da cesta básica, eventualmente cometidos por estabelecimentos comerciais do DF, ação que fere o Código de Defesa do Consumidor”, afirma o parlamentar através do documento. 


Além do arroz, outros itens estão mais caros nas prateleiras. Essa é a percepção do Antônio João Silva, microempresário, ao fazer compras para a sua casa e para o seu empreendimento, uma confecção de bolos: "Percebi uma grande diferença nos valores de itens básicos, como óleo de soja, papel higiênico, cuscuz, entre outros. Realmente a alta no preço do arroz é o mais gritante". Esses preços absurdos precisam ser fiscalizados, pois a população mais carente não tem condições de colocar comida na mesa.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

Publicidade

Usuários online

Publicidade