domingo, 27 de setembro de 2015

Não haverá concursos em 2016? Entenda as verdades e mitos

Diretor do Gran Cursos Online explica que existe um mau costume de, quando se anuncia algum corte em gastos, colocar na lista os concursos públicos. O que, segundo ele, é um engano e não funciona na prática

O Governo Federal anunciou, na tarde desta segunda-feira (14), o corte no orçamento da União para o exercício do ano de 2016. Segundo os ministros de Estado da Fazenda e Planejamento, Joaquim Levy e Nelson Barbosa, haverá a suspensão dos concursos a serem abertos no plano federal até agosto de 2016. A medida resultaria em uma caixa positivo em torno de R$ 1,5 bilhão. Aí é a hora dos candidatos se desesperarem! Mas, calma! O diretor do Gran Cursos Online, Gabriel Granjeiro, explica no texto abaixo o que isso trará de benefícios para aqueles que realmente herdarão a tão promissora carreira pública.

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Segurança Patrimonial para Empresas

ASC Service – Segurança Patrimonial oferece um conceito de segurança de alta inteligência com prevenção, implantação de um Sistema Integrado de Segurança e elaboração da análise de riscos que possam afetar seu patrimônio.


Oferecemos:
Vigilância armada e desarmada para empresas privadas e órgãos Públicos.;
Agentes especiais para eventos empresariais, esportivos e shows;
Vigilância temporária para shoppings e lojas;
Ronda motorizada eletrônica;
Supervisão e Gerenciamento em Segurança Empresarial;
Consultoria em Segurança – Planejamento especializado.

terça-feira, 15 de setembro de 2015

CHOQUE DE GESTÃO: Rollemberg anuncia medidas para retirar o DF da crise

Medidas administrativas, decretos e projetos de lei foram pensados para assegurar o pagamento integral dos servidores públicos neste ano e regularizar as contas em 2016

Foto: Olivar de Matos

Diante do fato de mais da metade da receita corrente líquida do Distrito Federal ter sido destinada ao pagamento de pessoal (50,8%), o governo é obrigado a adotar providências de redução de custos na folha dos servidores e eliminar o porcentual excedente. Isso deve ser feito até abril do ano que vem, dois quadrimestres fiscais após o Executivo local superar o limite da Lei de Responsabilidade Fiscal (Lei Complementar Federal n° 101, de 2000).

As medidas são necessárias não só para restabelecer os limites toleráveis da lei, mas também cumprir o que determina o artigo 169 da Constituição Federal. O corte de 20% dos cargos em comissão, por exemplo, obedece à Carta Magna. No momento em que o País atravessa uma grave crise financeira, o governo de Brasília tem recorrido a financiamentos a fim de executar obras e outros investimentos. Caso não consiga retornar, no mínimo, ao limite prudencial da LRF (46,55%) nos próximos oito meses, pode não ter mais empréstimos externos e internos avalizados pela União.

Publicidade

Publicidade

Usuários online

Publicidade