quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Secretaria de Educação/RS abre concurso com 1.393 vagas

As inscrições já estão abertas e seguem até dia 17 de novembroA Secretaria de Educação do Rio Grande do Sul lançou novo concurso público. São 1.393 vagas para os cargos de agente educacional I e II. A Fundação Universidade Empresa de Tecnologia e Ciência (Fundatec) é a banca organizadora. O salário é de R$ 1.117,29, para jornada de trabalho de 40h semanais. 

Para o posto de agente educacional I, as 240 vagas são para técnico em nutrição. Já para agente educacional II, as 1.153 chances são para assistente financeiro (270), técnico em informática (114), administração escolar (354), interação com o educando (339) e tradutor e intérprete de libras (76). 

Haverá provas objetivas no dia 21 de dezembro. Os candidatos ainda serão submetidos à análise de títulos. 

As inscrições já estão abertas. A banca organizadora vai receber os cadastro dos interessados por meio de seu site até dia 17 de novembro. A taxa é de R$ 63,69.

Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas suspende concurso

O Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (IPAAM) suspendeu o concurso com 94 vagas. A decisão se deu em cumprimento a uma liminar deferida pela 4ª Vara da Fazenda Pública estadual. Tanto o órgão quanto a banca organizadora têm o prazo de cinco dias para adequar o edital, sob pena de multa diária de R$ 1.000. 

Segundo a liminar, o concurso viola os princípios de isonomia, razoabilidade e proporcionalidade. Foi alegado que o edital exige conteúdo programático genérico, com único critério para avaliação de todos os candidatos, sem considerar as distintas áreas de formação. 

Além disso, o conteúdo programático foi considerado exaustivo, por ser composto por extensa lista de legislação, fugindo dos padrões de concursos anteriores. Por último, o prazo entre a abertura do certame e a realização das provas foi considerado muito curto. 

O concurso 
Do total de chances, nove são reservadas a pessoas com deficiência. Os salários são de R$ 1.350,19 a R$ 5.143,59, para os níveis médio e superior, respectivamente. Todos as funções contam com jornadas de trabalho de 40h semanais. 

As chances de nível médio são para o posto de assistente técnico. Em nível superior, as oportunidades são para o cargo de analista ambiental, que aceita profissionais das áreas de administração; advocacia; arqueologia; biologia; bioquímica; contabilidade; engenharia nas especialidades agronômica, ambiental, civil, elétrica, florestal, minas e pesca; geografia; geologia; medicina veterinária; química; sociologia e zootecnia. 

Mais saúde à mesa dos brasileiros

Mais da metade dos brasileiros (50,8%) estão acima do peso ideal e, destes, 17,5% são obesos. De acordo com dados da pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico de 2013, os números são 19% e 48%, respectivamente, superiores aos registrados em 2006. A obesidade é considerada fator de risco para doenças crônicas como diabetes e hipertensão e para alguns cânceres.

Baseado no dados, o Ministério da Saúde lançou ontem o Guia Alimentar para a População Brasileira. A pasta produziu um documento sugerindo ao brasileiro dar preferência a uma alimentação caseira e fresca, além de evitar produtos ultraprossessados, como salgadinhos de pacotes, macarrão instantâneo e refrigerantes. A publicação tem 152 duas páginas e será distribuída em escolas e unidades de saúde. O ministério também dispobilizou uma versão on-line no site.

O ministro da Saúde, Arthur Chioro, ressaltou que a obra tem linguagem acessível. “O guia se transforma cada vez mais em um instrumento de educação para a alimentação saudável”, disse. “Ele passa a ser um manual que prioriza a qualidade dos alimentos ingeridos. Não há mais, por exemplo, uma predefinição de porções”, disse o ministro referindo-se ao formato das orientações anteriores, que trabalhava com grupos alimentares e porções recomendadas de carboidratos e proteínas.

Lançado em 2006, o primeiro guia era de difícil compreensão mesmo para profissionais de saúde, de acordo com o ministro. Desta vez, a publicação é ilustrada e de linguagem mais clara. O guia também valoriza, de acordo com Chioro, os hábitos culturais dos brasileiros. O prato mais comum na mesa dos brasileiros — com arroz, feijão, salada e uma carne — foi bem recomendado pela pasta. A restrição é mais pelo modo de preparo. Orienta-se que a utilização de óleo, gordura, sal e açúcar seja sempre em pequenas quantidades.

Publicidade

Publicidade

Usuários online

Publicidade