sexta-feira, 5 de janeiro de 2018

Governo de Goiás continua chamando temporários

Negligente com a realização de concursos públicos e diante do caos no sistema penitenciário, o governo estadual continua contratando vigilantes prisionais temporários para tentar amenizar o problema nas cadeias

Porém, os salários oferecidos pelo Estado e as condições de trabalham dos agentes temporários ajudam a explicar a falência do sistema em Goiás.

O governo iniciou o chamamento dos 1,6 mil vigilantes temporários que vão receber R$ 1.390,46 por uma carga horária de 40 horas semanais. Além de receber menos que os efetivos, os agentes temporários relatam em reportagem de O Popular que não tem porte de arma e seguro de vida. Com salários ruins, tornam-se alvos fáceis de bandidos facilitando fugas e a entrada de armas e drogas nas penitenciárias.

Coincidência ou não, mais de 300 presos evadiram das prisões em Goiás, em 2017. Na última ocorrência, mais de 300 presos fugiram do Cepaigo, em Aparecida de Goiânia. Com tantos bandidos nas ruas, a população sofre com a violência cada vez maior – com assaltos, roubos a residências e assassinatos. Resultado da política de segurança pública fracassada dos governos de Marconi Perillo (PSDB).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

Publicidade

Usuários online

Publicidade