terça-feira, 18 de abril de 2017

Saiba conciliar trabalho e rotina de estudos na busca da aprovação em concurso público

É necessário que haja planejamento, disciplina e motivação para o concurseiro ter sucesso

Resultado de imagem para concurso
É possível ser aprovado em concurso mesmo sem se dedicar exclusivamente aos estudos, tendo de conciliar livros com trabalho? Talvez esta seja uma das perguntas mais respondidas por alguns estudantes que estão se preparando para concursos. A resposta: sim, é possível. Mas para isso é preciso muita determinação, planejamento e, principalmente, motivação.

Em geral, a necessidade de melhorar de vida é o que mais motiva concurseiros a perseverarem e seguirem firmes até alcançarem a aprovação, estando eles trabalhando ou não. Assim, pode se dizer que é mito afirmar que só passa em concurso quem se dedica exclusivamente aos estudos. Trata-se, aliás, de um mito muito comum, por vezes reforçado para desestimular potenciais concorrentes. No Gran Cursos Online, por exemplo, cerca de 65% dos alunos trabalham e estudam.

Casos como este podem ser comprovados até mesmo entre alguns professores que conseguiram conciliar ambas as atividades. Afinal, poucos podem contar com outra pessoa para bancar seus estudos e suas despesas mensais, sobretudo quando se trata de um projeto de médio ou de longo prazo, como é o de passar em concurso.

Carlos Elias, professor de Direito Civil para as carreiras jurídicas, foi aprovado em primeiro lugar para o cargo de Consultor do Senado, no concurso de 2012. Nessa época, exercia o cargo de Advogado da União e trabalhava no mínimo 40 horas por semana em um cargo de muita responsabilidade e pressão diária.

Ele dedicava todos os momentos livres para o estudo. Enquanto fazia as refeições, ganhava a companhia de uma apostila de exercícios. A cada garfada, lia uma questão e, enquanto mastigava a comida, tentava decifrar os enigmas das bancas. Carlos conta que também fazia das questões de concurso uma espécie de jogo com o qual ao mesmo tempo se divertia, fixava o conteúdo e aprendia. “A técnica contribuía para que a tarefa não ficasse estressante”, relata.

Wellington Antunes, professor de Direito Constitucional Wellington Antunes, foi aprovado em diversos concursos, entre eles o Consultor da Câmara dos Deputados, em 2014. Atualmente, seu nome é o segundo na lista de futuros nomeados para o cargo. Quando começou a estudar para concursos públicos, teve de se organizar para ser capaz de conciliar os estudos com o trabalho. Na época, trabalhava em uma loja de shopping e cumpria expediente de aproximadamente dez horas por dia, às vezes até mais do que isso.

“Eu tinha um foco bem-definido e, em virtude dele, organizei um cronograma de estudo por meio do qual eu sabia exatamente que matéria eu deveria estudar por dia e em que horário ocorreria o estudo”, lembra. Normalmente, ele estudava pela manhã, das 8h às 12h; e à noite, da 0h às 3h. Nos dois domingos de folga que tinha por mês, estudava 10 horas por dia. Durante o expediente, enquanto aguardava o cliente seguinte, lia – em pé mesmo – pequenos resumos, com perguntas e respostas, para absorver melhor o conteúdo. Todo segundo disponível era válido para o estudo.

Outra recomendação é de que o concurseiro também precisa se organizar bem para, por exemplo, economizar tempo nos deslocamentos e estar sempre de posse de material de estudo em qualquer momento e em qualquer lugar. É possível estudar até dentro do ônibus ou do metrô. O fato é que qualquer pessoa que consiga obedecer uma rotina de estudos pode ser aprovada em um concurso público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

Publicidade

Usuários online

Publicidade