quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

GDF convocará 100 agentes e 20 escrivães aprovados no último concurso para a Polícia Civil

Convocados serão chamados até o fim do mês de fevereiro. Os demais - 304 que aguardam convocação - terão de esperar

Conforme antecipou o portal, nesta quinta, o governador Rodrigo Rollemberg acaba de anunciar que convocará 100 agentes e 20 escrivães aprovados no último concurso para a Polícia Civil, até o fim do mês de fevereiro. Os demais - 304 que aguardam convocação - terão de esperar. "Vamos estudar a possibilidade de, mais adiante, fazer uma nova chamada de policiais civis", disse o governador. Ao Jornal de Brasília, o presidente do Tribunal de Contas do DF, Renato Rainha, afirmou que o governo não pode negligenciar as áreas de saúde, segurança e educação, com a justificativa de que ultrapassou os limites impostos pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). 

Os aprovados no último concurso - que já fizeram, inclusive, o curso de formação - esperam ansiosos, embora descrentes, pela nomeação. Ainda na campanha eleitoral, o então candidato Rodrigo Rollemberg prometeu que convocaria todos antes do fim do primeiro ano de governo. Mas apenas 48 agentes e oito escrivães foram nomeados. 

Para o diretor-geral da Polícia Civil,Eric Seba, o que atrapalhou os planos do governador foi o rombo que encontrou no início do mandato. “Ninguém esperava que fosse ter esse caos financeiro”, reforçou.

Tudo certo no TCDF

O Governo do DF já fez uma consulta ao Tribunal de Contas para esclarecer quais nomeações podem ser feitas pelo Executivo, já que atingiu os gastos máximos com pessoal impostos pela LRF. Em entrevista ao Jornal de Brasília, o presidente do Tribunal deixou claro que saúde, segurança e educação são áreas prioritárias. “Se tiver que fazer algum corte, que corte em outras áreas. Saúde, segurança e educação não podem ficar prejudicadas”, esclareceu Renato Rainha, repetindo que as substituições em caso de vacâncias podem - e devem - ser feitas. 

“A manifestação do presidente do Tribunal é fundamental, porque dá uma tranquilidade a mais para o Executivo”, argumentou Eric Seba. “O governador está trabalhando realmente no sentido de viabilizar as nomeações”, reiterou o diretor-geral da Polícia Civil..

Ele argumenta que, além da recomposição do quadro - que a nomeação dos 424 aprovados no último concurso não deve resolver completamente -, a corporação necessita aumentar o quadro, “o que a LRF não permite”.

Delegacia promove reestruturação
O anúncio da criação de mais uma delegacia fez com que o Sindicato dos Policiais Civis se manifestasse contra, alegando que a crise de recursos humanos na corporação não comporta mais uma unidade. E organiza, inclusive, uma manifestação na porta do Palácio do Buriti, na manhã de hoje. “De que serve um prédio sem policiais?”, questiona o presidente Rodrigo Franco.

Eric Seba argumenta que ocorrerá uma reestruturação e que a criação da Delegacia Especial de Repressão aos Crimes por Discriminação Racial, Religiosa ou por Orientação Sexual ou Contra a Pessoa Idosa ou com Deficiência não implicará em aumento dos organismos já existentes. 

“Tínhamos uma unidade que não estava exercendo na plenitude as atribuições que eram dela e estamos redirecionando um efetivo que não estava prestando o serviço da forma como poderia prestar”, explicou, citando a extinção da Divisão de Cadastro. Seba informou que Gláucia Ésper será a titular da delegacia, que funcionará como “catalisadora de políticas”, conforme disse o diretor-geral da Polícia Civil.

Projeto nasceu na câmara

O projeto que cria a delegacia é de autoria do deputado distrital Lira (PHS), que foi motivado pelo ataque ao templo religioso Axé Oyá Bagan, foi incendiado em novembro.

Cronograma em estudo

Um cronograma em preparo no Palácio do Buriti prevê que a convocação dos aprovados seja feita em grupos de 100.

Iniciados em fevereiro, o governo convocaria os últimos 22 no mês de junho deste ano. 

O calendário não está fechado, no entanto, já que o diretor da Polícia Civil tem brigado para que sejam todos convocados de uma só vez. 

Oficialmente, ele diz que trabalha com a expectativa de que as nomeações sejam finalizadas ainda no primeiro semestre. 

Até o vice-governador Renato Santana comprou a briga dos aprovados. E foi procurar a secretária de Planejamento, Leany Lemos, para que desse uma previsão objetiva sobre as contratações. Estão em estudo na Governança. Foi o que teria respondido uma das gestoras mais importantes do Palácio do Buriti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

Publicidade

Usuários online

Publicidade