segunda-feira, 17 de junho de 2013

Concurso da Anvisa é anulado e provas serão reaplicadas em agosto

     

 



A primeira fase do concurso promovido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), composta por provas objetivas e discursivas, será invalidada. As provas serão reaplicadas em todo o país e o Instituto Cetro deve permanecer à frente da seleção, já que a Anvisa considera não ter havido fraude, mas sim problemas operacionais.

Na coletiva à imprensa, realizada no começo desta tarde, o diretor/presidente da Anvisa, Dirceu Barbano, não quis revelar o conteúdo do relatório enviado pela empresa Cetro à autarquia especial detalhando as irregularidades do concurso. Isso porque se tratam de informações sensíveis e que serão analisadas pela Polícia Federal. Segundo Dirceu, é de responsabilidade da organizadora excluir do certame os candidatos que foram contra a conduta de com portamento prevista no edital, como aqueles que usaram celular para tirar fotos da prova, por exemplo. "Dos 107 locais de prova, em pelo menos 4% deles houve problemas, então dois ou três mil candidatos passaram por isso, então a empresa terá que tomar providências" para que esses problemas não aconteçam novamente, relatou.

Sobre a permanencia da Cetro como banca organizadora, Barbano disse que a empresa já realizou certame do órgão em 2010 e provou ser capacitada. "A medida da Anvisa preserva a expectativa de direito dos 125 mil candidatos inscritos e quer assegurar que todos participem em igualdade".

Porém, o período de inscrições não será reaberto. "A Cetro tem que apresentar imediatamente um cronograma Para a próxima prova. Nossa expectativa é de que elas aconteçam no primeiro fim de semana de agosto, mas essa é outra questão que a banca terá que resolver", afirmou.
 
Além da anulação das provas em todo o país, haverá multa prevista em contrato para o Instituto Cetro, recomendação para que a banca não organize mais concursos em âmbito federal, a identificação de candidatos que utilizaram aparelhos eletrônicos pela Polícia Federal e, por último, o acompanhamento da PF em todos os locais de prova na reaplicação. Até o momento, os membros decidiram que a banca deverá pagar multa em valor ainda não informado.
 
Histórico
De acordo com denúncias dos candidatos,  houve uma série de irregularidades na aplicação das provas em pelo menos três unidades federativas - Alagoas, Rio de Janeiro e Distrito Federal. Mais de 50 candidatos que fizeram as provas na Universidade Paulista (Unip), na Asa Sul, foram à delegacia para registrar ocorrência. Problemas como uso de aparelhos eletrônicos em sala de aula, atrasos e troca de cadernos de provas foram detectados. As avaliações aconteceram simultaneamente em todo Brasil no dia 2 de junho.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Publicidade

Publicidade

Usuários online

Publicidade